Diogo Cata Preta

feeds

Demora do governo atrasa a estréia da TIM no universo 3G

O atraso na assinatura dos contratos de terceira geração de celular pelo governo restringiu a estréia da TIM nessa tecnologia. Apesar de ter investido cerca de 1,3 bilhão de reais na compra de licenças para oferecer a nova geração em todo o Brasil, a companhia anunciou nesta quarta-feira a estréia apenas em seis capitais.

Os serviços 3G da TIM foram lançados em Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Recife e Salvador. A estréia nessas cidades aconteceu porque a operadora já tinha faixas ociosas na frequência de 850 MHz, que permite que serviços de terceira geração sejam oferecidos.

O leilão de frequências reservadas ao uso de serviços 3G foi realizado em dezembro passado e o governo vendeu licenças em 2,1 gigahertz em todo o Brasil. Mas o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu verificar os contratos, o que acabou forçando um adiamento das assinaturas pela Anatel e operadoras, que deveria ter ocorrido dia 10 deste mês.

A companhia de origem italiana também teve de adiar o início da campanha publicitária, que já estava pronta para ser veiculada em todo o país. “Isso quebrou as nossas pernas porque não vamos anunciar algo que ainda não está à venda. Isso complicou um pouco as coisas”, disse o presidente da TIM, Mario Cesar de Araújo, em encontro com a imprensa.

Segundo ele, a rede foi implantada em conjunto nas duas frequências, mas sem a assinatura da Anatel a companhia não pode começar a vender os novos serviços no restante do país.

De acordo com o executivo, logo após a assinatura, os serviços de 3G começam a ser vendidos em São Paulo e Rio de Janeiro e, até o final do ano, “em todas as capitais e nas maiores cidades”, disse ele. A expectativa é que o TCU libere os contratos para a Anatel ainda este mês e que a assinatura dos termos aconteça em maio.

O atraso fará com que a operadora também perca o Dia das Mães, uma das datas mais fortes para o comércio, na oferta da nova geração. “Os pais é que vão ter celular 3G”, disse o executivo.

A operadora informou ter a expectativa de que, ao longo deste ano, 10 por cento das novas adições sejam vinculadas à nova geração. Entre os novos serviços a serem oferecidos estão banda larga móvel, programas de TV no celular, jogos e videochamada. Os produtos fazem parte do plano de investimento de 7,2 bilhões de reais da companhia no triênio 2008-2010.

TIM inicia oferta de telefonia móvel da terceira geração (3G)

RIO – A operadora de telefonia móvel TIM oficializou, nesta quarta-feira, o início das ofertas de serviços para telefones celulares 3G. A empresa, que inicia a operação da nova rede meses depois de a Claro oferecer os serviços, atenderá inicialmente seis capitais – Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Recife e Salvador – com previsão de chegada ao Rio de Janeiro e São Paulo nos próximos meses. (

Leia mais: Elis Monteiro, do InfoEtc, explica o porquê do limite de cobertura

)

De acordo com a companhia, os clientes nestas capitais não precisarão trocar de chip nem migrar de plano para ter acesso aos conteúdos e serviços, como acesso em banda larga móvel, canais SKY e ligações com vídeo chamada. Assim como já acontece com clientes Claro, os usuários da TIM precisarão adquirir novos celulares 3G para ter acesso a todos os serviços da nova geração. A operadora deu início à oferta em parceria com as fabricantes Sony Ericsson (aparelhos Sony Ericsson W910 e Sony Ericsson K850i) e Nokia (aparelhos Nokia 6120, o Nokia 5610, o Nokia N81, o Nokia 6267, o Nokia N95).

Brasil dispõe de infra-estrutura para ofertar sistema de banda larga, diz técnico

O Brasil está preparado, pelo menos tem infra-estrutura, para a implantação do sistema de tecnologia 3G, disse o diretor de Serviços de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações, Heliomar Medeiros de Lima. Ele participou, na terça-feira, da abertura da 8ª Rio Wireless International Conference, cujo tema central são os Sistemas Móveis para a Terceira Geração.

O sistema 3G é uma das possibilidades de conexão de banda larga sem fio. O sistema permite que voz, dados e imagens sejam transmitidos e acessados em alta velocidade, com um custo mais baixo do que nas tecnologias convencionais.

– O Brasil tem avançado bastante – disse Lima à Agência Brasil, ressaltando que o país está à frente da maioria das nações latino-americanas nessa área.

Ele lembrou que na semana passada o governo deu um grande passo nesse sentido, ao firmar acordo com as operadoras de telefonia fixa para levar a infra-estrutura de banda larga a todos os municípios brasileiros até 2010.

Segundo ele, já foram atendidos com infra-estrutura de banda larga cerca de 2 mil municípios do total de 5.565. O acordo prevê investimentos das operadoras de telefonia em torno de R$ 2 bilhões.