Diogo Cata Preta

feeds

Google lança página que busca por temas mais populares em blogs

O Google lançou nesta quarta-feira um novo serviço semelhante ao Google News, mas dedicado apenas a buscas por temas que estejam sendo discutidos em blogs pelo mundo afora. O Google Blog Search também dividido em categorias, como política, tecnologia e entretenimento, que agrupam posts sobre temas semelhantes. Para conhecer a ferramenta visite o site http://blogsearch.google.com/

Google segue comemorando anivers√°rio e coloca no ar p√°gina e index originais de 2001

RIO – O Google segue comemorando seus 10 anos de anivers√°rio com a apresenta√ß√£o de pequenos presentinhos para o usu√°rio. Desta vez, eles colocaram no ar uma c√≥pia do site de busca e do index da ferramenta mais antigos que ainda est√£o dispon√≠veis. Quem seguir este link poder√° visitar a p√°gina do Google como ela era em 2001 e os resultados das buscas refletem o conte√ļdo da √©poca.

√Č importante notar que muitas das p√°ginas da √©poca n√£o existem mais ou foram modificadas. A busca, portanto, n√£o √© perfeita, mas ainda assim garante alguns minutos de divers√£o. O Google cita “diversos motivos t√©cnicos” para n√£o reproduzir os arquivos do ano de sua funda√ß√£o: 1998. Segundo o site, em janeiro de 2001 a ferramenta de busca dava acesso a 1.326.920 p√°ginas.

Google abre concurso por projetos para ‘mudar o mundo’

RIO – O Google lan√ßou nesta quarta-feira o projeto 10¬Ļ¬ļ¬ļ, definido por eles como “um chamado por id√©ias para mudar o mundo, ajudando o maior n√ļmero poss√≠vel de pessoas”. O gigante das buscas promete financiar com US$ 10 milh√Ķes os cinco melhores projetos que forem recebidos.

No site do 10¬Ļ¬ļ¬ļ, a empresa publicou um v√≠deo com uma anima√ß√£o fofinha, onde argumenta que quando algu√©m se movimenta para resolver problemas comuns podem surgir id√©ias que ajudam at√© mesmo milh√Ķes pessoas. O v√≠deo termina com a pergunta “Quantas pessoas a sua id√©ia pode ajudar?”

As id√©ias devem ser enviadas at√© o dia 20 de outubro, atrav√©s de um formul√°rio que pode ser encontrado neste link. Um v√≠deo de at√© 30 segundos pode ser inclu√≠do para refor√ßar a proposta. O Google aceita projetos nas seguintes categorias: comunidade, oportunidade, energia, meio-ambiente, sa√ļde, educa√ß√£o, habita√ß√£o e outros.

Os critérios para a escolha das melhores idéias, segundo o site, serão o alcance do projeto, a profundidade com que as pessoas serão afetadas, a viabilidade da implementação em curto prazo (um ou dois anos), a eficiência e a duração do impacto da idéia.

No dia 27 de janeiro o Google vai publicar uma lista de 100 id√©ias e o p√ļblico poder√° eleger as 20 semi-finalistas. Ent√£o um j√ļri ir√° escolher os cinco melhores projetos, que receber√£o o apoio da empresa.

Bem melhor que Big Brother ou O Aprendiz, n√£o?

Google amplia liderança no mercado de buscas nos Estados Unidos

RIO – O Google ampliou sua lideran√ßa em buscas online nos EUA, chegando a 63% do mercado no m√™s de agosto, contra 61,9% registrados em julho. Segundo uma pesquisa da comScore, o crescimento foi o maior em cinco meses. Os n√ļmeros ganham ainda mais import√Ęncia quando se considera que os dois principais rivais do Google – Yahoo e Microsoft – tiveram queda na participa√ß√£o.

O Yahoo perdeu 0,9%, ficando com 19,6% do mercado, e a Microsoft se manteve na terceira posição, com 8,3% (queda de 0,6%). O Ask.com (4,8%) cresceu 0,3% e se manteve no quarto lugar, às frente da AOL (4,3%), que cresceu 0,1%.

A ComScore estima que o n√ļmero de buscas feitas nas cinco principais ferramentas de buscas nos Estados Unidos tenha se mantido em 11,75 bilh√Ķes, mesmo n√ļmero de julho.

Google vai dominar o mundo

Em 2009, o Google completa dez anos de existência e para celebrar a data, acho que a empresa decidiu dominar todo o universo.

Depois do buscador, do site de relacionamentos (orkut), do Gmail, do Google Earth e de várias outras ferramentas que nem consigo me lembrar, o Google decidiu criar um navegador próprio de internet (que ainda não testei, então não posso falar nada).

Al√©m disso, a empresa decidiu chegar ao espa√ßo. Atrav√©s dos servi√ßos da GeoEye, empresa especializada em informa√ß√Ķes geoespaciais, o Google enviou para o espa√ßo, na semana passada, um sat√©lite que far√° imagens em alta resolu√ß√£o da terra. Esse sat√©lite trabalhar√° exclusivamente para o Google.

Rapaz, j√° estou vendo o mundo daqui h√° alguns anos.

O cidadão abre a página do Google, coloca o nome da namorada no buscador e espera alguns segundos. Logo em seguida aparece uma ficha completa da moça, contendo identidade, CPF, residência, filiação e tipo sanguineo.

E digo mais, junto com a ficha aparece um mapinha no canto direito superior da tela, com uma seta, que mostra o local em que a mo√ßa se encontra na terra. E a medida que clicamos no sinalzinho de +, a c√Ęmera se aproxima e √© poss√≠vel ver, ao vivo, a pessoa que procuramos.

√Č meus amigos, o Google √© o futuro.

S√≥ espero que voc√™s n√£o gostem muito de privacidade…

Google lança projeto para oferecer internet via satélite de baixo custo

RIO – Oferecer internet via sat√©lite para 3 bilh√Ķes de pessoas a baixo custo √© o novo projeto do Google, em parceria com a Liberty Global e o HSBC Principle Investments. O cons√≥rcio pretende adquirir 16 sat√©lites de baixa √≥rbita para oferecer acesso a pa√≠ses pr√≥ximos √† linha do Equador, na √Āfrica, Am√©rica Latina e Oriente M√©dio. A fase inicial ter√° metade desses sat√©lites e deve entrar em opera√ß√£o em 2010.

O projeto “O3b” (Outro 3 bilh√Ķes, tamb√©m na sigla em ingl√™s) j√° tem US$ 65 milh√Ķes investidos pelas tr√™s empresas, mas os recursos podem chegar a US$ 750 milh√Ķes, segundo o jornal Financial Times. Larry Alder, do Google, disse ao jornal ingl√™s que o projeto pode baixar o custo do acesso √† banda larga em atpe 95%.

Mozilla diz que Firefox 3.1 ser√° mais r√°pido que o Chrome

RIO РDois dias depois do lançamento do Chrome, a Mozilla mostrou que não está disposta a perder espaço e anunciou que a próxima versão do Firefox, a 3.1, será mais rápida que o browser do Google.

O Chrome roda uma ferramenta de Javascript chamada V8, principal respons√°vel pela velocidade do navegador, que bateu todos os advers√°rios em testes feitos por especialistas.

Segundo Tech Crunch, para combater o V8, a Mozilla está preparando o TraceMonkey, que acompanhará o Firefox 3.1, a ser lançado até o final do ano. Segundo testes feitos pela própria Mozilla, o Firefox com o TraceMonkey foi até 28% mais rápido que o Chrome rodando no Windows XP e 16% no Windows Vista.

Google Chrome já é o terceiro navegador mais acessado no Brasil

O mesmo sucesso que o Chrome teve pelo mundo, foi alcançado também no Brasil, onde o browser do Google já representa 1,11% dos acessos, tornando-se o terceiro browser mais utilizado, à frente de concorrentes como o Apple Safari e o Opera. Os dados são Predicta, consultoria especializada na análise do comportamento de navegação dos internautas brasileiros.

Segundo Fred Pacheco, gerente de Business Intelligence da consultoria, esses dados devem movimentar a briga entre Microsoft e Google.

– A queda que a Microsoft tem sofrido nos √ļltimos meses ainda √© pequena, mas tem impacto direto no multimilion√°rio mercado de buscadores, j√° que o padr√£o do Internet Explorer √© o Live Search da Microsoft, contra o Firefox e o Chrome, que usam o Google – afirma o executivo.

O executivo afirma que em curto prazo é possível que abalos mais sensíveis aconteçam ao Firefox que ao navegador da Microsoft:

– o Firefox √© utilizado em grande parte pelo grupo que chamamos de early adopters, ou seja, aquelas pessoas que aceitam inova√ß√Ķes tecnol√≥gicas antes da massa e esse grupo tem maior propens√£o a experimentar inova√ß√£o mais cedo que os demais usu√°rios, por isso, podemos assumir que esse grupo ser√° o primeiro a experimentar o Google Chrome – afirma.

Isso se refor√ßa quando a an√°lise √© detalhada em acesso a conte√ļdos mais espec√≠ficos como canais de tecnologia. Neste p√ļblico, mais antenado com as inova√ß√Ķes tecnol√≥gicas, a penetra√ß√£o do Google Chrome j√° chega a 5,16% dos acessos.

РConsiderando o poder de penetração do Google no mundo online, o cenário desse mercado promete mudar radicalmente nos próximos meses Рcomplementa Pacheco.

Google modifica cláusula abusiva nos Termos de Licença do Chrome

Sabe aqueles termos de licença que todo software pede para você aceitar antes de instalá-lo e todo mundo aceita sem ler? Pois os termos do Google Chrome levantaram uma onda de protestos pela internet, por conta da cláusula 11, que determina que tudo que você escreve usando o Chrome, pertence ao Google.

Ap√≥s posts em v√°rios blogs questionarem a cl√°usula abusiva, o Google admitiu que a exig√™ncia era um erro e modificou os termos de compromisso. Pelos termos originais, o Google teria o direito de republicar at√© mesmo conte√ļdo apenas visualizado no browser. Al√©m de posts de blogs, emails, conversas do Google Talk, etc.

O texto original era:

“11. Conte√ļdo licenciado por voc√™

11.1 Voc√™ mant√©m os direitos autorais e quaisquer outros direitos que j√° tenha sobre o conte√ļdo apresentado, publicado ou exibido nos ou atrav√©s dos Servi√ßos. Ao apresentar, publicar ou exibir o Conte√ļdo voc√™ d√° ao Google o direito perp√©tuo, irrevog√°vel, mundial, livre de royalties e n√£o-exclusivo de reproduzir, adaptar, modificar, traduzir, publicar, apresentar publicamente e distribuir esse Conte√ļdo apresentado, publicado ou exibido nos ou atrav√©s dos Servi√ßos. Essa licen√ßa tem o √ļnico objetivo de permitir ao Google exibir, distribuir e promover os Servi√ßos e pode ser revogada para alguns Servi√ßos como definido nos seus Termos Adicionais.

11.2 Voc√™ concorda que esta licen√ßa inclui o direito do Google tornar esse conte√ļdo dispon√≠vel para outras companhias, organiza√ß√Ķes ou indiv√≠duos com quem o Google tenha rela√ß√Ķes de fornecimento de servi√ßos, e de usar esse Conte√ļdo no fornecimento desses servi√ßos.

11.3 Voc√™ compreende que o Google, durante os passos t√©cnicos necess√°rios para o fornecimento desses Servi√ßos, pode (a) transmitir ou distribuir o seu Conte√ļdo em v√°rias redes p√ļblicas e m√≠dias; e (b) modificar seu Conte√ļdo para adequ√°-lo √†s exig√™ncias t√©cnicas de redes, aparelhos, servi√ßos e m√≠dias. Voc√™ concorda que essa licen√ßa permite que o Google tome essas a√ß√Ķes.

11.4 Voc√™ confirma e garante ao Google que voc√™ tem todos os direitos, poderes e autoridade para garantir ao Google a licen√ßa acima.”

A cl√°usula modificada ficou assim:

“11. Conte√ļdo licenciado por voc√™

11.1 Voc√™ mant√©m os direitos autorais e quaisquer outros direitos que j√° tenha sobre o conte√ļdo apresentado, publicado ou exibido nos ou atrav√©s dos Servi√ßos.”

CEO da Mozilla comenta lançamento do Chrome, do Google

RIO – John Lilly, o diretor-executivo da Mozilla, comentou o lan√ßamento do browser Chrome, do Google, nesta ter√ßa-feira, em seu blog. Ele afirma que o mercado est√° mais movimentado do que nunca, citando como exemplos o an√ļncio do Chrome e o lan√ßamento do beta 2 do IE e do Ubiquity, da pr√≥pria Mozilla.

A Microsoft tamb√©m liberou um comunicado oficial em que disse que “O cen√°rio dos navegadores √© altamente competitivo, mas as pessoas v√£o escolher o Internet Explorer 8 pela forma com que ele coloca os servi√ßos que elas precisam nas pontas dos seus dedos, respeita suas escolhas pessoais em rela√ß√£o ao modo como querem navegar e, mais que qualquer outra tecnologia, as coloca no controle de seus dados pessoais online”.

Apesar do Chrome parecer apontado para a enorme fatia de mercado dominada pelo Internet Explorer, estilhaços podem atingir também o Firefox, da Mozilla. E existem os que acreditam que o browser da raposa pode até ser a maior vítima do novo competidor.

Ter mais pessoas inteligentes pensando em formas de tornar a web boa para seres humanos normais é bom.


Para o CEO da Mozilla, “ter mais pessoas inteligentes pensando em formas de tornar a web boa para seres humanos normais √© bom”. Segundo ele, a competi√ß√£o tende a resultar em inova√ß√£o, como pode-se ver no mercado de navegadores este ano, que teve “enormes melhorias na performance do Javascript, avan√ßo nos processos de seguran√ßa e grandes inova√ß√Ķes de interface”.

Lilly diz que n√£o se surpreende com a iniciativa do Google, que √© o maior investidor da pr√≥pria Mozilla, pagando US$ 56 milh√Ķes dos US$ 66 milh√Ķes feitos pela empresa em 2006 para ser a ferramenta de busca padr√£o do Firefox. “O neg√≥cio deles √© a web (…). O Chrome ser√° um browser otimizado para o que eles consideram importante, e ser√° interessante ver o desenvolvimento disso tudo”.

Para Lilly, com a entrada do Chrome, o mercado fica ainda mais competitivo e “mais que nunca teremos que fazer softwares que as pessoas amem. O Firerox √© muito bom hoje em dia e continuar√° melhorando”.

Ele afirma que a Mozilla e o Google fizeram “muito nos √ļltimos anos pela melhoria e abertura da web”, cita projetos em comum, como o anti-phishing do Firefox que entrar√° no Chrome, e lembra que as empresas acabaram de renovar seus acordos comerciais at√© novembro de 2011.

Lilly fecha seu post lembrando que a Mozilla √© uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de manter a web aberta e participativa e que, “mesmo num ambiente mais competitivo do que nunca, est√° otimista em rela√ß√£o ao futuro da Mozilla e da web aberta.

Próxima Página →