Diogo Cata Preta

feeds

Fórum vai debater como Brasil pode virar centro de tecnologia da informação

O Brasil tem condi√ß√Ķes de se tornar o terceiro maior centro global de tecnologia da informa√ß√£o (TI), na opini√£o do ex-ministro do Planejamento Jo√£o Paulo dos Reis Velloso. O tema ser√° debatido durante o 20¬ļ F√≥rum Nacional, que o Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae) promove no Rio de Janeiro a partir desta segunda-feira, dia 26.

– Hoje, n√≥s somos mais criativos do que a √ćndia, mas exportamos algo em torno de US$ 500 milh√Ķes por ano de software, por exemplo, e a √ćndia exporta entre US$ 25 bilh√Ķes e US$ 30 bilh√Ķes. N√£o h√° raz√£o para isso – comentou o ex-ministro, que √© superintendente geral do Inae, em entrevista √† Ag√™ncia Brasil.

O f√≥rum vai examinar tamb√©m a chamada “economia criativa”. Esta √© criada a partir das aptid√Ķes modernas proporcionadas pela economia do conhecimento.

РEntão, você leva o conhecimento a todos os setores da economia e faz uma transformação no agronegócio, em setores de insumos básicos, como siderurgia, celulose e papel. Ou seja, nas áreas intensivas em recursos naturais.

Cresce busca por profissional de TI nas empresas, mostra pesquisa

Diante da expans√£o da inform√°tica no meio corporativo, o profissional especializado em Tecnologia da Informa√ß√£o (TI) est√° se tornando um ativo disputado pelos recrutadores. Segundo pesquisa realizada pelo N√ļcleo de Informa√ß√£o e Coordena√ß√£o Ponto BR (NIC.br), 20% das empresas brasileiras com dez funcion√°rios ou mais tentaram contratar especialistas em TI em 2007, sendo que no ano anterior esse percentual era de 17%.

Al√©m disso, o NIC.br aponta que, entre os anos de 2006 e 2007, cresceu de 28% para 38% a fatia de empresas que lidaram com dificuldades ao recrutar o profissional de TI que estavam procurando. A falta de qualifica√ß√£o espec√≠fica ainda √© apontada pela maioria das empresas (79%) como o principal empecilho para a contrata√ß√£o, seguido por falta de experi√™ncia no ramo (69%) e pretens√Ķes salariais altas (58%).

Segundo o NIC.br, que funciona como o √≥rg√£o executivo do Comit√™ Gestor de Internet no Brasil, al√©m da procura por profissionais especialistas, tamb√©m cresceu a busca por funcion√°rios com dom√≠nio gen√©rico em inform√°tica. Entre 2006 e 2007, a propor√ß√£o de empresas que recrutou profissionais com esse perfil subiu de 18% para 40%. As corpora√ß√Ķes que encontraram dificuldades nessa contrata√ß√£o, por√©m, recuaram de 42% para 34% nesse mesmo per√≠odo.

Fisl: Software livre é tema de fórum internacional em Porto Alegre

Come√ßou nesta quinta-feira, em Porto Alegre, o 9¬ļ F√≥rum Internacional de Software Livre, o Fisl 9.0. A id√©ia do evento √© reunir professores, pesquisadores, especialistas e interessados em compartilhar conhecimentos sobre o software livre, al√©m de discutir, divulgar e aprimorar essa tecnologia.

A programação prevê palestras e encontros das chamadas comunidades Рde quem desenvolve essa tecnologia. Também haverá a Arena de Programação do Fórum Internacional Software Livre, uma espécie de competição que promove o encontro de integrantes dessas comunidades tecnológicas e testa suas habilidades.

C√Ęmera detecta e fotografa sorrisos automaticamente

A companhia japonesa de produtos eletr√īnicos Sony lan√ßar√° uma c√Ęmera que tira fotos automaticamente quando detecta um rosto sorridente, informaram hoje fontes da empresa √† ag√™ncia “Kyodo”. As c√Ęmeras da s√©rie Cyber-shot T disparar√£o automaticamente quando no quadro do visor estiver um rosto sorridente.

Maquina Fotogr√°fica

O novo produto poder√° at√© tirar seis fotos consecutivas no modo autom√°tico, e o usu√°rio poder√° programar tr√™s tipos de sorriso na c√Ęmera: um leve sorriso, um sorriso normal e um sorriso largo. A s√©rie T da Sony vir√° em duas vers√Ķes, o modelo DSC-T200 com uma tela de tr√™s polegadas e meia de cristal l√≠quido e um pre√ßo de US$ 413, e o modelo DSC-T170 com uma tela de tr√™s polegadas e pre√ßo de US$ 345.

Além disso, a empresa Omron anunciou hoje que desenvolveu um sistema que mede a intensidade com a qual alguém está rindo, com uma tecnologia que mede vários pontos de seu rosto.

Segundo a companhia, esta tecnologia pode ser usada em c√Ęmeras digitais para que possam tirar a fotografia no momento em que a pessoa estiver com seu melhor sorriso. O sistema mede 30 par√Ęmetros de um rosto e detecta pontos como o sorriso, as rugas e o n√≠vel no qual se elevam os cantos dos l√°bios.

Por fim, mede a intensidade do sorriso em uma escala de 0 a 100. Segundo a companhia, todo o processo leva apenas 0,044 segundo e serve tanto para rostos japoneses como para os de pessoas de outras nacionalidades.