Diogo Cata Preta

feeds

Projeto brit√Ęnico quer produzir comida e energia em deserto

Uma equipe de engenheiros e arquitetos baseados em Londres está combinando tecnologias para transformar imensas áreas desérticas em terrenos férteis com capacidade de produzir comida, água limpa e fontes alternativas de energia.

O Sahara Forest Project (Projeto Floresta Sahara) consiste em construir lado a lado estufas onde seria possível obter água limpa e cultivar alimentos, e painéis espelhados gigantes que captariam raios solares para gerar eletricidade.

A iniciativa combina tecnologias criadas pela empresa Seawater Greenhouse, que cultiva planta√ß√Ķes em estufas instaladas em √°reas √°ridas, e por arquitetos e engenheiros que desenvolveram uma t√©cnica conhecida como Concentrated Solar Power (Energia Solar Concentrada, em tradu√ß√£o livre).

O criador da Seawater Greenhouse, Charlie Paton, explica que a técnica consiste em instalar evaporadores na entrada da estufa que convertem a água do mar em vapor. O vapor resfria a temperatura dentro do local em até 15 graus e favorece o crescimento da lavoura.

Do outro lado da estufa o vapor √© condensado, transformando-se em √°gua limpa que serve para regar as planta√ß√Ķes.

Segundo Paton, a quantidade de água obtida é cinco vezes maior do que a necessária para molhar as plantas, produzindo um excedente que pode ser usado para mover turbinas acopladas aos painéis que captam a energia solar, gerando energia.

Biodiesel

De acordo com os criadores do Sahara Forest Project, em fase de testes em Tenerife, Om√£ e Emirados √Ārabes Unidos, a iniciativa ter√° potencial para produzir comida e eletricidade que ser√£o consumidas por moradores locais.

A energia também poderia ser enviada para a Europa por meio de um conversor.

Com o excedente de água ainda seria possível cultivar pinhão manso, uma planta que serve de base para produzir biodiesel e que se adapta bem às terras desérticas.

Os criadores do projeto dizem que a iniciativa poder√° ser uma ferramenta importante para combater a desertifica√ß√£o e trar√° m√ļltiplos benef√≠cios, como “grandes quantidades de energia renov√°vel, comida e √°gua”.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

¬© British Broadcasting Corporation 2006. Todos os direitos reservados. √Č proibido todo tipo de reprodu√ß√£o sem a autoriza√ß√£o por escrito da BBC BRASIL.

Primeiro an√ļncio da Microsoft com Seinfeld vai ao ar

RIO – Um an√ļncio sobre o nada… ou quase isso. Foi assim que come√ßou a multimilion√°ria campanha publicit√°ria da Microsoft, que traz como garotos-propaganda os astros Jerry Seinfeld e Bill Gates. O primeiro comercial, que foi ao ar nos EUA na noite desta quinta-feira cita a Microsoft apenas no final do an√ļncio, que n√£o faz men√ß√£o a nenhum produto da empresa. Veja o v√≠deo aqui.

Segundo Bill Veghte, diretor da Microsoft, disse ao TechCrunch, o objetivo do comercial √© “contar como o Windows permite que bilh√Ķes de pessoas ao redor do mundo fa√ßam mais coisas com suas vidas hoje em dia”. Essa primeira fase da campanha “foi feita para engajar os consumidores e iniciar uma nova conversa em rela√ß√£o ao Windows, que vai evoluir durante a campanha, mas ser√° sempre marcada pelo humor e humanidade”.

No vídeo, Seinfeld está caminhando por um shopping center quando vê Bill Gates numa loja de sapatos e Рentre alguns comentários engraçadinhos Рacaba ajudando-o a escolher seus novos calçados.

No final do an√ļncio, quando os dois deixam o shopping, Seinfeld pergunta a Gates se a Microsoft “far√° algo que torne nossos computadores mastig√°veis e macios como bolos, para que possamos com√™-los enquanto trabalhamos”. Gates responde que sim dando uma leve reboladinha e a propaganda termina com o logo do Windows e o slogan “Delicious”.

N√ļmero de computadores ‘zumbis’ quadruplicou, diz funda√ß√£o

n√ļmero de computadores “zumbis” quadruplicou nos √ļltimos tr√™s meses, segundo informa√ß√Ķes da Funda√ß√£o Shadowserver, uma organiza√ß√£o que investiga o uso de computadores para a pr√°tica de crimes na internet.

Computadores zumbis são aqueles que foram invadidos por códigos maliciosos sem o conhecimento dos usuários e que acabaram por ficar sob o controle de criminosos.

Segundo a organização, mais de 450 mil computadores em todo o mundo fazem parte de redes zumbis sem o conhecimento de seus donos. Estas redes, também conhecidas como botnets, são usadas para a prática de crimes na web.

A grande maioria das máquinas infectadas é de PCs que utilizam o sistema operacional Windows, da Microsoft.

Segundo dados da funda√ß√£o, em junho, havia cerca de 100 mil computadores zumbis em todo mundo. Mas, no final do m√™s de agosto, este n√ļmero subiu para 450 mil.

Armadilhas

O aumento no n√ļmero de m√°quinas seq√ľestradas nos √ļltimos meses √© atribu√≠do a sites armadilha, que atraem o usu√°rio para poder instalar programas em seus computadores.

Os spams que lotam as caixas de e-mail tamb√©m s√£o usados para seq√ľestrar computadores para que eles passem a fazer parte destas redes.

Estes computadores são usados então como base para ataques a websites e como repositórios de dados roubados.

Normalmente, as m√°quinas s√£o infectadas por uma vulnerabilidade em algum dos programas que s√£o rodados nela.

Depois, o computador entra em contato com uma rede para que faça o download de um software que deixa a máquina sob o controle de hackers.

Estas redes clandestinas podem se espalhar por diferentes países.

Operação brasileira da MSC quer se tornar referência de virtualização

Em mar√ßo de 2007 a opera√ß√£o brasileira da empresa de log√≠stica europ√©ia MSC decidiu investir mais pesado em virtualiza√ß√£o e, 18 meses depois, hoje pode se tornar um caso de refer√™ncia em toda a organiza√ß√£o. Com a ado√ß√£o de um sistema que concentra as opera√ß√Ķes eletr√īnicas de aplicativos no data center da companhia, ela ao mesmo tempo reduziu o tempo de resposta entre os funcion√°rios de campo e o escrit√≥rio central, aumentou a seguran√ßa das opera√ß√Ķes e ainda levou as economias indiretas com equipamentos.

Hoje enviamos informa√ß√Ķes atualizadas de entradas e sa√≠das de cont√™ineres para o escrit√≥rio central em Santos a cada dez minutos. Antes, a atualiza√ß√£o era feita apenas uma vez por dia, no fechamento da opera√ß√£o, afirma o coordenador de manuten√ß√£o e reparo de cont√™ineres da MSC no Brasil, Andr√© Florippi.

Essa velocidade na troca de informa√ß√Ķes se mostrou fundamental para acelerar as opera√ß√Ķes da companhia que, no Brasil, tem cerca de 10 mil cont√™ineres. Apenas em Santos, a empresa movimenta, entre entrada e sa√≠da, cerca de 400 cont√™ineres.

At√© mesmo o tempo necess√°rio para abertura de novas bases foi reduzido com a implementa√ß√£o do sistema virtualizado, explica o gerente de Tecnologia da MSC Brasil, Andr√© Alc√Ęntara.

Em todo o ano de 2005, abrimos apenas uma agência no país. Hoje, em tempo igual, consigo implantar até três agências, afirma ele, explicando que isso é possível por não ser mais necessário configurar toda uma estrutura de tecnologia nas novas bases, apenas ligar máquinas a uma conexão de internet.

Hoje estamos despreocupados em relação à tecnologia para conduzir o plano de expansão que temos no Brasil. Isso deixou de ser uma dificuldade para tomarmos a decisão de implantar novas bases, afirma o gerente de Marketing da MSC Brasil, Thiago Lopes.

Essa facilidade na implanta√ß√£o do sistema tamb√©m permitiu reduzir o tipo de infraestrutura necess√°ria nos p√°tios de movimenta√ß√£o de cont√™ineres. Hoje todos os processos podem ser realizados via tecnologia sem fio, atrav√©s de notebooks conectados a redes Edge ou de terceira gera√ß√£o (3G). A partir desses equipamentos, saem os relat√≥rios de movimenta√ß√£o dos cont√™ineres, a programa√ß√£o de uso e manuten√ß√£o, assim como os status alfandeg√°rios e as informa√ß√Ķes fiscais e aduaneiras necess√°rias para sua libera√ß√£o.

Mesmo operando com equipamentos vulneráveis como notebooks, muito fáceis de serem perdidos ou roubados, a preocupação da MSC com segurança de informação é nula.

N√£o fica nada no computador. Tudo √© feito dentro dos servidores em nossa sede, l√° ficam todos os documentos, afirma Alc√Ęntara. Segundo ele, o notebook serve apenas como um terminal remoto de consulta e opera√ß√£o, sem armazenar nenhum dado. Caso seja perdido ou roubado, sem uma senha de usu√°rio, n√£o h√° como acessar a rede da MSC e, assim, dados protegidos.

Como o aplicativo é rodado no data center, e não no PC ou notebook, o tráfego de dados além de não ser muito grande, pois está todo no mesmo lugar, não é necessário uma segurança tão grande na ponta do usuário, afirma Erika Ferrara, diretora de vendas e canais da Citrix, que fornece o sistema de virtualização para a MSC.

Embora a intenção da empresa européia ao adotar o sistema tenha sido ganhar agilidade em seus processos, ela obteve também um benefício paralelo muito relevante. Com o sistema virtualizado e se utilizando de um mecanismo de compactação de dados mais avançado, foi possível reduzir o tamanho do parque de servidores instalado no país.

Antes t√≠nhamos 25 servidores, todos mal utilizados. Quando adotamos o atual sistema, reduzimos esse n√ļmero para 12 m√°quinas – embora hoje tenhamos 15 para suportar o crescimento natural da opera√ß√£o, explica Alc√Ęntara. Al√©m disso, com 25 servidores, t√≠nhamos 200 usu√°rios, hoje com 15, servimos mais de 400 usu√°rios de PCs e outros 150 notebooks, e ainda com uma folga de capacidade de cerca de 20%, acrescenta.

Segundo o diretor, ainda n√£o √© poss√≠vel estimar qual a economia com equipamentos obtida com a implanta√ß√£o do novo sistema da Citrix. Ele acredita que realmente houve uma redu√ß√£o nos gastos, j√° que os PCs agora necess√°rios para a opera√ß√£o s√£o do tipo thin client, que n√£o t√™m recursos embarcados, apenas capacidade para acessar as informa√ß√Ķes do data center. Apenas daqui uns dois ou tr√™s anos √© que vamos poder avaliar o n√≠vel de economia em compras de equipamentos, quando chegar o momento que seria o novo ciclo de troca e n√£o tivermos que substituir m√°quinas – j√° que os servidores t√™m vida √ļtil mais longa que computadores, afirma Alc√Ęntara.

(José Sergio Osse | Valor Online)

IE 8 em português será lançado no dia 16 de setembro

A versão em português do Internet Explorer 8 será lançada no dia 16 de setembro, segundo a Microsoft. O download poderá ser feito pelo endereço www.microsoft.com/brasil/ie8. Confira as principais novidades do IE8:

InPrivate – recurso que oferece ao usu√°rio op√ß√Ķes de privacidade para computadores compartilhados.

Aceleradores Рagiliza as atividades do usuário, disponibilizando atalhos customizáveis. O consumidor pode localizar um endereço no Live Maps ou traduzir a página com um clique.

Webslice – permite que o usu√°rio monitore informa√ß√Ķes dos sites, por exemplo, acompanhar os lances de um item no site de leil√£o.

Smart Address Bar Рtraz mais funcionalidades para a visualização da barra de endereços do navegador. Além disso, destaca o domínio da página acessada.

Busca fácil e visual Рpermite que o usuário tenha uma pré-visualização do que está buscando na Internet.

Tab recover Рisola as abas para que em caso de problema, uma delas não derrube a navegação inteira. Permite também reabrir as páginas fechadas acidentalmente.

Tab Groups Рsepara e organiza as abas por grupos de navegação, visualizadas por diferentes cores.

Tecnologia permite sentir objetos virtuais feitos com ultra-som

Uma nova tecnologia desenvolvida por cientistas japoneses permite que as pessoas possam sentir com o tato, com as m√£os limpas, objetos virtuais por meio de ondas de ultra-som.

Cientistas j√° haviam criado formas de integrar o sentido do tato a softwares, mas o que foi desenvolvido at√© hoje vinha exigindo que o usu√°rio usasse luvas ou aparelhos mec√Ęnicos que produzem a sensa√ß√£o de toque.

A inovadora tecnologia japonesa, porém, permite que a sensação tátil seja reproduzida sem nada nas mãos.

O prot√≥tipo inclui uma c√Ęmera que identifica a posi√ß√£o da m√£o do usu√°rio. A informa√ß√£o √© transferida para geradores de ondas ultra-s√īnicas no aparelho, que emitem as ondas de diferentes maneiras, criando uma “forma” em pleno ar.

O resultado é uma sensação tátil de estar percorrendo a borda ou superfície de um objeto virtual.

Videogames

O sistema foi criado pelo pesquisador Takayuki Iwamoto e seus colegas da Universidade de Tóquio. A equipe está no momento aprimorando a tecnologia para permitir uma sensação tátil mais firme e a reprodução de objetos virtuais com formas mais complexas.

Iwamoto espera poder, no futuro, usar a t√©cnica em programas 3-D e videogames e diz que sua equipe “recebeu v√°rias propostas de empresas” quando o prot√≥tipo foi apresentado em uma confer√™ncia no m√™s passado.

O sistema √© “o primeiro do tipo”, segundo o pesquisador da Universidade de Glasgow Stephen Brewster, especializado em tecnologias t√°teis como essa.

“Voc√™ pode sentir com ambas as m√£os, em vez de ter simplesmente um √ļnico ponto de contato, e v√°rias pessoas podem us√°-lo ao mesmo tempo”, diz Brewster.

“√Č √≥timo ter um aparelho que voc√™ pode simplesmente usar sem precisar vestir ou segurar qualquer outro dispositivo”, afirmou.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

¬© British Broadcasting Corporation 2006. Todos os direitos reservados. √Č proibido todo tipo de reprodu√ß√£o sem a autoriza√ß√£o por escrito da BBC BRASIL.

Google terá acesso exclusivo a imagens de satélite GeoEye-1

RIO РO Google assinou um acordo com a empresa GeoEye para ter acesso exclusivo a imagens do novo satélite GeoEye-1, que será lançado no dia 4 de setembro. A empresa usa imagens de satélites nos seus serviços Google Maps e Google Earth.

O GeoEye-1 vai orbitar a 680 quil√īmetros acima da Terra, mas poder√° captar imagens com detalhes de at√© 41 cent√≠metros, segundo o CNet News. O Google, no entanto, ter√° a resolu√ß√£o limitada a 50cm, por conta dos termos da licen√ßa do GeoEye com o governo dos Estados Unidos.

Segundo a porta-voz do Google Kate Hurowitz, hoje em dia a maioria dos sat√©lites comerciais capturam imagens com resolu√ß√Ķes de 60cm.

Diplomacia italiana ter√° p√°gina no YouTube

ROMA – O Minist√©rio das Rela√ß√Ķes Exteriores da It√°lia divulgou atrav√©s de uma nota que passar√° a manter uma p√°gina no site de v√≠deos YouTube, de propriedade do Google.

Na página, http://it.youtube.com/ministeroesteri é possível ver todos os principais vídeos sobre o ministério e as sedes diplomáticas e consulares italianas.

O objetivo da iniciativa, segundo a nota, √© ampliar o n√ļmero de pessoas que assistem aos v√≠deos, que j√° eram divulgados no site do minist√©rio, tentando levar aos jovens temas relacionados √† pol√≠tica internacional e √†s numerosas atividades realizadas pelo governo italiano. As informa√ß√Ķes s√£o da Ansa.

Download de Cds do Biquine Cavadao

biquinicavadao_aovivo

MegaUpload – Biquini Cavad√£o – Ao Vivo

Especialistas corrigem falha que permitia golpe banc√°rio online

Especialistas em computação lançaram um programa que corrige uma falha de segurança nos navegadores da internet.

A falha permitia que criminosos redirecionassem os usuários para páginas falsas, mesmo quando digitavam o endereço correto no navegador.

Isso fazia com que os usu√°rios navegassem por p√°ginas falsas de bancos e cart√Ķes de cr√©dito, se sujeitando ao golpe conhecido como phishing, que leva usu√°rios a passar, sem saber, dados banc√°rios e financeiros a terceiros.

Grandes empresas como a Microsoft est√£o distribuindo o software que corrige a falha.

“As pessoas devem ficar preocupadas, mas elas n√£o precisam entrar em p√Ęnico”, disse o especialista Dan Kaminsky, um dos especialistas que descobriu a falha.

Segundo ele, esse tipo de problema é inédito.

Ele descobriu a falha h√° seis meses ao navegar pelo Domain Name System (DNS), um sistema que √© usado para converter endere√ßos da internet em seq√ľ√™ncias num√©ricas.

Ao burlar o DNS, criminosos redirecionavam endereços para sites falsos de bancos, onde os usuários acabavam revelando dados pessoais, como senhas bancárias.

Em março, Kaminsky reuniu grandes empresas de computação Рcomo Microsoft, Sun e Cisco Рe formou uma equipe para investigar uma solução para o problema.

“Isso nunca foi feito antes e √© uma grande tarefa”, disse ele.

Os especialistas não têm certeza de quantas vezes a falha dos navegadores foi usada. Os usuários devem receber a atualização automaticamente.

A Microsoft lançou a atualização na terça-feira.

← Página AnteriorPróxima Página →