Diogo Cata Preta

feeds

Websites podem ganhar classificação indicativa como a dos cinemas

RIO – O governo brit√Ęnico pretende trabalhar em conjunto com os EUA para criar um sistema de classifica√ß√£o de sites da internet baseado em idade, semelhante ao j√° existente nos cinemas. A iniciativa seria parte de uma s√©rie de a√ß√Ķes contra atividades virtuais que podem ser consideradas ofensivas ou nocivas que ser√° lan√ßada no in√≠cio de 2009, segundo informou o secret√°rio de Cultura do Reino Unido, Andy Burnham, em uma entrevista ao jornal Daily Telegraph.

Burnham pretende negociar com a administra√ß√£o de Barack Obama para conseguir aplicar “novos padr√Ķes de dec√™ncia” √† comunidade internacional de sites escritos na l√≠ngua inglesa. O ministro descreve a rede como um “lugar bastante perigoso” e quer que os provedores ofere√ßam aos pais servi√ßos “seguros para crian√ßas” na web.

– Existe conte√ļdo que simplesmente n√£o deveria estar dispon√≠vel. Essa √© a minha opini√£o categ√≥rica. N√£o se trata de uma campanha contra a liberdade de express√£o, longe disso. Mas existe um interesse p√ļblico maior em jogo quando o material envolve agress√Ķes a outras pessoas. N√≥s precisamos definir melhor onde est√° o interesse p√ļblico – defende Burnham.

Um dos problemas ligados a internet que surgiu nos √ļltimos anos na Inglaterra √© o caso de jovens que agridem colegas na rua, filmam as agress√Ķes com os celulares e postam o resultado na internet.

 A idéia inicial do ministro é que os provedores fiquem responsáveis pela fiscalização, mas novas leis poderiam ser criadas caso esse primeiro passo não obtenha sucesso.

– Eu acho que precisamos de padr√Ķes mais claros na internet. Mais possibilidades para os pais saberem onde seus filhos est√£o e quais as regras daquele site. Quais as prote√ß√Ķes existentes – argumenta ele – Me preocupa o fato de que n√£o se pode deixar uma crian√ßa sozinha na internet por duas horas – complementa.

Burnham tamb√©m quer regras mais duras para obrigar os sites a tirar do ar material considerado ofensivo. Segundo seus planos, p√°ginas como o YouTube e Facebook teriam um per√≠odo espec√≠fico de tempo para remover conte√ļdo ap√≥s serem alertadas. Ele pretende tamb√©m criar leis que de√™m maior prote√ß√£o a pessoas difamadas online. As propostas est√£o sendo escritas pelo Minist√©rio da Justi√ßa.


Em Breve um grande lançamento nos espera:
http://www.meuimportado.com

YouTube ter√° filmes completos da MGM

RIO – O Youtube ter√° filmes completos e s√©ries de TV do est√ļdio MGM, segundo acordo anunciado nesta segunda-feira. A parceria ser√° inaugurada com a publica√ß√£o de alguns epis√≥dios da s√©rie “American Gladiators”, al√©m de c√≥pias completas de filmes como “O Monge a Prova de Balas” e “Sete Homens e um Destino” e pequenos trechos de outros como “Legalmente Loura”.

O acordo √© visto por analistas como mais um passo do YouTube para uma rela√ß√£o mais amistosa com os est√ļdios de Hollywood. No in√≠cio o site dificultava a retirada do ar de material protegido por direitos autorais. A gigante da m√≠dia Viacom chegou a abrir contra o YouTube um processo de US$ 1 bilh√£o, que ainda est√° em julgamento.

Recentemente, no entanto, o YouTube desenvolveu um sistema que permite que os donos de direitos autorais retirem material encontrado no site ou o mantenham disponível, com exibição de publicidade.

O Google, que comprou o YouTube em 2006, j√° havia anunciado um acordo com o est√ļdio independente Lionsgate, mas a MGM √© o primeiro grande a assinar uma parceria com o site.

YouTube passa a contar com sistema de legendas

O YouTube criou uma forma simplificada de legendar vídeos para facilitar o acesso de pessoas com deficiência auditiva ou não compreendem a língua falada em determinados filmes.

As legendas podem ser criadas quando o vídeo é publicado no site ou adicionadas depois. Pode-se incluir legendas em mais de uma língua. Já existem mais de 120 idiomas disponíveis.

Nos vídeos em que estão disponíveis, as legendas são acionadas clicando-se numa caixa do lado direito inferior do vídeo onde se lê a sigla CC (Closed Caption).

J√° existem alguns v√≠deos com a op√ß√£o de legendas dispon√≠vel, feitos por empresas e institui√ß√Ķes como a BBC, Cnet e o MIT. O recurso por enquanto s√≥ pode ser visto no pr√≥prio YouTube, n√£o funcionando em v√≠deos anexados em outros sites ou blogs.

Vídeos de ataques epiléticos no YouTube geram protestos

Ativistas que defendem os direitos de pessoas portadoras de epilepsia na Gr√£-Bretanha criticaram a divulga√ß√£o, pelo site YouTube, de v√≠deos de pessoas tendo convuls√Ķes.

A Sociedade Nacional para Epilepsia da Gr√£-Bretanha (NSE, na sigla em ingl√™s) afirmou que alguns dos v√≠deos, n√£o todos, s√£o s√≥ para satisfazer o voyeurismo dos internautas, sendo equivalentes modernos dos shows de aberra√ß√Ķes populares durante o s√©culo 19.

No site de compartilhamento de v√≠deos h√° muitos clipes de pessoas tendo convuls√Ķes e outros mostrando pessoas fingindo ter convuls√Ķes. Alguns destes v√≠deos foram assistidos por mais de 70 mil pessoas.

A NSE revelou a preocupa√ß√£o de que algumas das imagens tenham sido colocadas no YouTube sem a permiss√£o das pessoas que tiveram as convuls√Ķes.

Segundo Sallie Baxendale, neuropsicóloga da NSE, parece claro que vários vídeos foram gravados nas ruas, com telefones celulares.

Mas, segundo a médica, algumas das imagens podem ter sido feitas durante consultas médicas, e mostram a pessoa passando por um eletroencefalograma para monitorar as ondas cerebrais.

Coment√°rios

Segundo Baxendale, os coment√°rios postados no YouTube a respeito das imagens foram, geralmente, solid√°rios.

Mas uma minoria sugeriu que a pessoa sofrendo a convulsão poderia estar possuída e necessitaria um exorcismo.

A m√©dica afirma que imagens de convuls√Ķes epil√©ticas poderiam ajudar a aumentar os conhecimentos das pessoas sobre o problema.

N√£o estamos falando ‘estas imagens n√£o deviam ser divulgadas, parem agora’, mas √© algo para se pensar. √Č algo bom ou ruim? N√£o tenho certeza

, afirmou.

Comunidade

O site afirmou que analisou e retirou o material que considerou impróprio.

O YouTube tem polícias claras que proíbem material inapropriado. Nossa comunidade (de usuários) compreende as regras e políticas do site para vídeos inadequados

, disse um porta-voz do site.

Quando os usu√°rios acreditam que o conte√ļdo √© impr√≥prio, eles podem denunciar isso, e nossos funcion√°rios v√£o analisar o mais r√°pido poss√≠vel se (o material) viola nossos termos de uso

, acrescentou.

Se os usu√°rios desrespeitam estas regras v√°rias vezes, desativamos suas contas.

Google e Youtube Customizam a Logomarca em Apoio ao Earth Day

O Site Youtube e o Google customizaram suas Logomarcas em apoio ao Earth Day (Dia da terra).

Google - Earth Day Youtube - EarthDay

Para saber mais veja o Artigo que publiquei mais cedo. CLIQUE AQUI